Muito Feliz Por Ter V♥cês AQUI!

quinta-feira, 9 de julho de 2009

A Conversão Plena Traz Felicidade



Élder Richard G. Scott
Do Quórum dos Doze Apóstolos

"Sua felicidade atual e eterna está condicionada ao seu grau de conversão e à transformação que ela traz à sua vida. "

Cada um de nós já observou pessoas que passam a vida consistentemente fazendo o que é certo. Elas parecem ser felizes, e são até mesmo entusiastas em relação à vida. Quando precisam tomar decisões difíceis parece que, invariavelmente, tomam as decisões corretas, muito embora houvessem outras alternativas tentadoras a seu alcance. Sabemos que elas estão sujeitas à tentação, mas parecem não notá-las.
De modo semelhante, notamos que outras não são tão valentes em suas decisões. Em um ambiente que tenha grande influência do Espírito, elas resolvem melhorar, mudar o curso de sua vida, deixar de lado os hábitos que as debilitam. São muito sinceras em sua determinação de mudar. Mas logo voltam a fazer as mesmas coisas que decidiram abandonar.

O que é que diferencia a vida desses dois grupos?
Como vocês podem tomar decisões corretas consistentemente?
As escrituras dão-nos uma idéia.
Imaginem o entusiasta e impetuoso Pedro. Durante três anos ele servira como Apóstolo ao lado do Mestre, observando milagres e ouvindo ensinamentos transformadores e explicações particulares das parábolas. Juntamente com Tiago e João, Pedro assistiu à gloriosa transfiguração de Jesus Cristo, seguida das visitações de Moisés e Elias.1
No entanto, com tudo isso, o Salvador podia ver que ainda faltava consistência a Pedro. O Mestre o conhecia muito bem, como conhece a cada um de nós. Lemos na Bíblia:
"Disse também o Senhor: Simão, Simão, eis que Satanás vos pediu (. . .). Mas eu roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça; e tu, quando teconverteres, confirma teus irmãos. E ele lhe disse: Senhor, estou pronto a ir contigo até à prisão e à morte".2
Certamente essas não eram palavras vãs do ponto de vista de Pedro. Ele foi sincero no que disse, mas agiu de modo diverso.
Mais tarde, no Monte das Oliveiras, Jesus profetizou a Seus discípulos: "Todos vós esta noite vos escandalizareis em mim; porque está escrito: Ferirei o pastor, e as ovelhas se dispersarão".
Mais uma vez, Pedro respondeu: "Ainda que todos se escandalizem, nunca, porém, eu". Então o Mestre profetizou solenemente: "Em verdade te digo que hoje, nesta noite, antes que o galo cante duas vezes, três vezes me negarás".
Ao que Pedro respondeu com mais veemência: "Ainda que me seja necessário morrer contigo, de modo nenhum te negarei".3
Para mim, uma das passagens mais comoventes das escrituras é a que descreve o que aconteceu depois. Uma advertência discreta a cada um de nós de que, saber o que é certo e até desejar ardentemente fazer o que é certo, não é o suficiente. Na verdade é, com freqüência, muito difícil fazer aquilo que sabemos ao certo que devemos fazer. Lemos:
"E como certa criada, vendo-o [Pedro] (. . .), disse: Este também estava com ele. Porém, ele negou-o, dizendo: Mulher, não o conheço. (. . .) vendo-o outro, disse: Tu és também deles. Mas Pedro disse: Homem, não sou. (. . .) outro afirmava, dizendo: Também este verdadeiramente estava com ele, (. . .) E Pedro disse: Homem, não sei o que dizes. E logo, estando ele ainda a falar, cantou o galo. E, virando-se o Senhor, olhou para Pedro, e Pedro lembrou-se da palavra do Senhor, (. . .) E, saindo (. . .) para fora, chorou amargamente."4

Por mais dolorosa que possa ter sido para Pedro a confirmação da profecia, sua vida começou a mudar para sempre.
Ele tornou-se aquele servo decidido, firme como uma rocha, que era essencial para o plano do Pai depois da crucificação e ressurreição do Salvador.
Essa emocionante passagem ilustra também o quanto o Salvador amava Pedro. Ainda que enfrentasse um desafio esmagador à Sua própria vida e carregasse nos ombros o peso de tudo que iria acontecer, Ele virou-Se e olhou para Pedro—o amor de um Mestre foi transmitido a um aluno querido dando-lhe coragem e entendimento em um momento de necessidade. Pedro elevou-se à plena estatura de seu chamado. Ele ensinou com poder e testemunho inabalável, a despeito de ameaças, prisão e açoites. Estava totalmente convertido.

Às vezes a palavra convertidoé usada para descrever quando uma pessoa sincera decide ser batizada. No entanto, se usada de forma adequada,conversão significa muito mais do que isso, tanto para o recém converso como para o membro antigo. Com característica clareza e precisão doutrinária, o Presidente Marion G. Romney explicou a conversão:

"Ser convertido significa mudar de uma crença ou curso de ação para outro. A conversão é uma mudança espiritual e moral. Serconvertidoimplica não meramente uma aceitação mental de Jesus Cristo e Seus ensinamentos, mas também uma fé motivadora Nele e em Seu evangelho. Uma fé que produza uma transformação, uma mudança real no entendimento de alguém quanto ao significado da vida e em sua fidelidade a Deus, em interesse, pensamento e conduta. Naquele que se converteu verdadeira e plenamente, o desejo pelas coisas que são contrárias ao evangelho de Jesus Cristo simplesmente morreu. E, em seu lugar existe o amor a Deus, com uma determinação sólida e dominante de guardar Seus mandamentos."

Para serem convertidos, vocês precisam lembrar-se de aplicar diligentemente em sua vida as palavras chave:
"o amor a Deus, com uma determinação sólida e dominante de guardar Seus mandamentos".
Sua felicidade atual e eterna está condicionada ao seu grau de conversão e à transformação que ela traz à sua vida. Como, então, podem tornar-se verdadeiramente convertidos? O Presidente Romney descreve os passos que precisam seguir:
"A filiação à Igreja e a conversão não são necessariamente sinônimos. Nem ser convertido e ter um testemunho não são necessariamente a mesma coisa. Adquire-se um testemunho quando o Espírito Santo testifica a verdade ao pesquisador honesto. Um testemunho comovente dá nova vida à fé. Isto é, ele induz o arrependimento e a obediência aos mandamentos. A conversão é o fruto ou a recompensa do arrependimento e da obediência."5

Em uma declaração simples, a verdadeira conversão é o fruto daf é, doarrependimento e da obediênciaconsistente.
A fé, vem de se ouvir a palavra de Deus6 e ser sensível a ela.
Vocês receberão, do Espírito Santo, um testemunho confirmador de coisas que aceitam pela fé é o executá-las de bom grado.7
Vocês serão levados a arrepender-se de faltas resultantes de coisas que fizeram de errado ou das coisas boas que não tiverem realizado. Como conseqüência, sua capacidade deobedecer consistentemente será fortalecida.
Esse ciclo defé, arrependimento, e obediência consistente irão conduzi-los a uma conversão maior, com as bênçãos que dela advirão.
A verdadeira conversão fortalecerá sua capacidade de fazer aquilo que sabem que devem fazer e quando devem fazê-lo, não importando as circunstâncias.

Em geral, considera-se que a parábola do semeador, ensinada por Jesus, descreve como a palavra do Senhor é recebida por pessoas diferentes quando é pregada.
Pensem por um momento, como a mesma parábola pode se aplicar a vocês em circunstâncias diferentes de sua vida, quando enfrentam desafios ou ficam sob fortes influências.
A palavra, ou ensinamentos do Salvador, pode chegar a vocês de muitas maneiras: ao observarem os outros, por meio de suas próprias orações, ao ponderarem as escrituras, ou pela orientação do Espírito Santo.
À medida que repito a explanação dada por Jesus a Seus discípulos, a respeito da parábola, examinem mentalmente sua vida. Vejam se existem períodos em que os ensinamentos corretos encontram em vocês condições inadequadas para recebê-los e, conseqüentemente, os frutos prometidos de felicidade, paz, satisfação e progresso se perdem.

"O que semeia, semeia a palavra; (. . .) [Alguns] junto do caminho (. . .) mas, tendo-a eles ouvido, vem logo Satanás e tira a palavra que foi semeada nos seus corações."
Isso poderia acontecer a vocês, no ambiente errado e com as amizades erradas?

"(. . .) [Alguns] (. . .) sobre pedregais; os quais, ouvindo a palavra, logo com prazer a recebem; Mas não têm raiz em si mesmos, antes são temporãos; depois, sobrevindo (. . .) perseguição (. . .) logo se escandalizam."
Alguma vez já estiveram em uma circunstância em que alguém lhes propôs algo impróprio e vocês nada fizeram para resistir?
"(. . .) [Alguns] recebem a semente entre espinhos, os quais ouvem a palavra; Mas os cuidados deste mundo, (. . .) e as ambições de outras coisas, entrando, sufocam a palavra, e fica infrutífera."
Já houve ocasiões em que vocês queriam tanto uma determinada coisa que justificasse a quebra de seus padrões?
"(. . .) [Alguns] recebem a semente em boa terra são os que ouvem a palavra earecebem, e dão fruto, um a trinta, outro a sessenta, outro a cem, por um."8

Sei que essa é a forma como desejam viver. A maneira com que vocês mais plenamente aceitam os ensinamentos do Salvador e Sua doutrina, por meio da obediência voluntária, determina quantos frutos, vocês colherão como bênçãos em sua vida.
Essa parábola ilustra que o grau com que, de bom grado, vocês obedecem as coisas que sabem que devem fazer, resistindo à racionalização que pode tentá-los a fazer o oposto, determinará quão verdadeiramente convertidos vocês estão.
Ela ilustra, portanto, com que amplitude o Senhor pode abençoar sua vida.

A verdadeira conversão produz o fruto da felicidade duradoura que pode ser desfrutado ainda que o mundo esteja em tumulto e não esteja sentindo nenhuma alegria.
O Livro de Mórmon ensina o seguinte a respeito de um grupo de pessoas que passava por dificuldades: "Não obstante, jejuavam e oravam freqüentemente e tornavam-se cada vez mais fortes em sua humildade e cada vez mais firmes na fé em Cristo, enchendo a alma de alegria e consolo, sim, purificando e santificando o coração, santificação essa resultante da entrega de seu coração a Deus".9

O Presidente Hinckley declarou que é a verdadeira conversão que faz a diferença.10
Para receberem as bênçãos prometidas resultantes da verdadeira conversão, talvez tenham que fazer algumas mudanças em sua vida.
O Salvador disse: "Não volvereis a mim agora, arrependendo-vos de vossos pecados e convertendo-vos, para que eu vos cure?(. . .) se vierdes a mim, tereis vida eterna."11

Presto testemunho de que, ao pedirem orientação, o Espírito Santo os ajudará a identificar as mudanças pessoais que precisam fazer para conseguir a plena conversão.
O Senhor poderá, então, abençoá-los mais abundantemente. Sua fé Nele se fortalecerá, sua capacidade de arrependimento aumentará, e sua energia para obedecer consistentemente se reforçará.
O Senhor vive. Ele os ama. Ao fazerem o melhor possível, Ele os ajudará. Em nome de Jesus Cristo. Amém.

NOTAS 1. Ver Mateus 17:3; 1 Reis 17:1; D&C 110:13. 2. Lucas 22:31–32; grifo do autor. 3. Ver Marcos 14:27, 29–31. 4. Lucas 22:56–62. 5. Conferência de Área da Guatemala, 21 e 22 de fevereiro de 1977, pp. 8–9. 6. Ver Romanos 10:17; Joseph F. Smith,Doutrina do Evangelho, 7aEdição, p. 99. 7. Ver Éter 12:6. 8. Marcos 4:14–20. 9. Helamã 3:35. 10. Seminário de Representantes Regionais, 6 de abril de 1984, citado por W. Mack Lawrence, "Conversão e Compromisso",A Liahona,julho de 1996, p. 78. 11. 3 Néfi 9:13–14.

Nenhum comentário:

Postar um comentário